Buscar
  • Luis Namura

Como Perder o Medo de Empreender? - Cérebro do Namura #54

Atualizado: 9 de fev.

Ao embarcar em um novo negócio, é normal sentir medo de empreender. Sair da zona de conforto exige coragem para abandonar o velho e adotar o novo, mas causa insegurança. Veja nesse artigo como vencer essa barreira e ter mais sucesso.

Como Perder o Medo de Empreender? - Cérebro do Namura #54

Riscos


Apresentei no blogpost anterior o que eu descobri há 30 anos. Ao atingir uma idade mais avançada, muitas pessoas revelam que, se pudessem voltar atrás, arriscariam mais.


Essa é, sem dúvida, uma revelação que nos faz pensar:


“Será que eu também não irei me arrepender no futuro de não ter arriscado mais durante minha vida?”


Bem, essa resposta só o tempo lhe dará. Porém, se a máxima acima lhe couber, creio que você tem a oportunidade de tomar uma decisão e, de modo calculado, correr alguns riscos que poderão lhe trazer enormes resultados.


Para tal, você terá que enfrentar seus medos, em especial o medo do desconhecido e de deixar sua “zona de conforto”.


Medo de empreender


Minha primeira lembrança profissional em relação a esse tema é de quando fui convidado a ministrar aulas em um colégio técnico, situação que me causou certo receio. Tive medo de não desempenhar a contento o papel que me caberia.


Fui então me aconselhar com meu pai e dele ouvi uma história que mudaria para sempre a forma como passei a enfrentar os desafios que a vida viria a me propor e os medos que esses desafios causavam.


Resumo aqui, de breve maneira, essa passagem. Ela retrata meu primeiro medo de empreender meu conhecimento.


Ao dizer a meu pai que tinha receio de começar a ministrar aulas numa escola de excelente nível técnico, ele me ensinou o que trago abaixo.


Aprendizado


“Filho, preste muita atenção na história que vou lhe contar. Durante 9 anos, participei de duas guerras (Civil Espanhola e 2ª Guerra Mundial). O medo era nosso mais constante sentimento, mas não havia saída, tínhamos que conviver com ele e enfrentá-lo.


Passados esses episódios, viemos ao Brasil, eu, seus avós e demais membros da família. Iniciamos uma dura batalha pela sobrevivência. Comecei a atuar como alfaiate no Rio de Janeiro, mesmo sem saber quase nada de costura.


Minhas tarefas, durante as guerras pelas quais passei, nada tinham a ver com o ofício de um alfaiate. Porém, como a necessidade faz o homem, a alternativa era enfrentar meus medos e tornar-me um bom profissional.


Já você estuda numa das mais renomadas faculdades de engenharia do país e é convidado a transmitir seu conhecimento a outras pessoas, provavelmente porque quem o convidou reconhece seu potencial. Então, a única coisa que impede você de aceitar esse convite não é sua falta de conhecimento, mas o medo que sair de sua zona de conforto lhe traz.


Eu não tinha o mesmo preparo que você possui para exercer a profissão que abracei. O fiz porque, caso não o fizesse, não teria como comer. Você, ao oposto, caso não aceite esse convite, continuará tendo o que comer. No entanto, se tornará uma pessoa fraca e cada dia mais amedrontada frente aos desafios que a vida lhe impuser.


Portanto, crie coragem, enfrente seus medos e fortaleça seu espírito, ou seja dominado por eles. A decisão é sua.


Mas, saiba que, dominado pelo medo, você se tornará refém, por toda a vida, das desculpas que terá que inventar para dar paz à sua mente por não ter tido coragem de enfrentá-lo. Quem não busca criar o futuro que deseja tem de suportar o que futuro que lhe é imposto.”


Descubra a coragem da necessidade


No capítulo Cortando os motores, tópico Meu Pai, Meu Herói, no livro Yes, You Can!, você encontra outras passagens inspiradoras que me trouxeram grande prazer e conhecimento. Todas, sem exceção, decorrentes da atitude que tomei a partir daquela conversa que tive com meu pai.


Foi a partir daquele diálogo que jamais recusei qualquer projeto por medo de empreender ou outra coisa. Aquela conversa foi um divisor de águas em minhas decisões profissionais e de vida.


Para sermos felizes, verdadeiramente felizes, só há um caminho: crescer como seres humanos, tornar-nos aquilo que verdadeiramente somos e executar nosso propósito de vida. Para isso, correr riscos e enfrentar nossos medos é condição sine qua non.


Saber disso e não se apavorar frente aos desafios é fundamental para fazer de nosso caminhar uma trajetória de autoconhecimento, enriquecimento, sabedoria e bem-viver.


Por fim, trago aqui o conselho de meu pai que tem guiado muitas de minhas decisões na vida:


“Enfrente seus medos, mesmo morrendo de medo. Quando a necessidade bater à sua porta, você descobrirá a coragem que nem imaginava possuir.”


Portanto, tenha atitude, enfrente seus medos e saboreia a sua a vida.


Conclusão


Lembre-se: O covarde nunca começa; o perdedor nunca termina; o vencedor nunca desiste.


Adquira agora o seu exemplar do livro Yes, You Can! e faça bom proveito dessas e outras dicas! Fique também por dentro de conteúdos exclusivos pelo nosso canal no YouTube.

Qual é o seu principal medo de empreende? Deixe seu comentário, curta e compartilhe esse conteúdo.


Leia mais sobre:


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo